21/07/356 a.C.: Templo de Ártemis é incendiado

templo de ártemis

No dia 21 de julho de 356 a. C. o Templo de Ártemis, uma das 7 maravilhas do mundo antigo, era destruído por um incêndio criminoso.

Tendo sido construído pelos gregos durante sua descoberta da chamada Ásia Menor, o templo fica localizado na atual cidade de Éfeso, na Turquia, como homenagem a uma deusa local que, embora se diferencie da conhecida deusa grega Ártemis, foi rebatizada com esse nome pelos gregos recém chegados.

No dia 21 de julho de 356 a. C., Heróstrato, um cidadão de Éfeso, iniciou um incêndio proposital no templo com  o objetivo de dar imortalidade ao seu nome. Tal fato resultou numa tentativa dura de apagá-lo da história, com penas agressivas — muito provavelmente, pena de morte — a quem mencionasse ou registrasse seu nome.

Existe a lenda de que Ártemis, deusa protetora do templo, estava ocupada presidindo o nascimento daquele que viria a se tornar Alexandre, O Grande e, por esse motivo, não pode proteger o templo. Em contraposição, existe a lenda de que a data da morte de Alexandre, que até hoje é incerta, tenha sido modificada para dar mais prestígio ao general no imaginário popular.

Após o incêndio, o templo foi reconstruído e destruído diversas vezes e, nos dias atuais resta apenas uma coluna do que um dia foi uma da 7 maravilhas do mundo antigo.

Deixe um comentário

error

Gostou? Compartilhe :)